O Google processa todos os dias 24 petabytes (1 petabyte equivale a 1.000 terabytes) de informação, segundo um infográfico desenvolvido pela good.is em colaboração com a IBM. Com essa enxurrada de material disponível e a rapidez com que se consome e se descarta informações, a credibilidade do que é publicado sempre está a ser comprovada. 

Créditos: Divulgação

Mediathon

Tendo em vista essa realidade, o Midiamakers -- projeto que leva as técnicas e ferramentas para a criação de narrativas digitais nas escolas -- lançou o Mediathon Educação Para a Informação. A ideia é trazer palestras e mentorias para a criação de materiais educativos sobre  pesquisa e avaliação da informação, veracidade de fotos e vídeos, fact-checking, hoaxes na internet,  análise da informação visual (mapas e infográficos) e outros.

A iniciativa foi desenvolvida em parceria com a ONG Chicas Poderosas, que promove a capacitação de mulheres para a utilização das ferramentas de ponta no jornalismo digital, e professores Google Innovators -- grupo global de educadores selecionados pelo Google por demonstrar liderança para tratar de desafios na educação a partir do uso de tecnologia.

O evento, que ocorre nos dias 21 e 22 de abril, das 8h às 17h, no Impact Hub de Pinheiros, contará com palestrantes e mentores do Nexo Jornal, Lupa Educação, Escola de Dados, BBC Brasil e Associação Nova Escola. 

“Percebendo a necessidade urgente de levar a discussão sobre a qualidade da informação para as salas de aula da educação básica, e a escassez de recurso educativos em português para essa faixa etária, decidimos aplicar esses modelos [de mediathon] ao desafio proposto: fazer chegar a educação para a informação ao maior número possível de salas de aula em todo o Brasil”,  explica Mariana Ochs, uma das idealizadoras. 

Posteriormente, todos os materiais criados serão disponibilizados gratuitamente no site e redes sociais do projeto MidiaMakers, além de parceiros como ChicasPoderosas e Rede Brasileira de Criatividade, com divulgação nas redes de todos os participantes.

Por Alexia Araujo