Nos dias de hoje, tem muita gente que, mesmo sendo honesta, não consegue dormir o chamado “sono dos justos”. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 40% dos brasileiros sofre de insônia, e as causas são diversas, passando por fatores como alimentação e ansiedade. Para ajudar as pessoas a acordar para a necessidade de noites bem dormidas, um casarão no bairro da Vila Mariana, em São Paulo, foi transformado no Hotel do Sono.

Não, não é um lugar para onde as pessoas vão para ser monitoradas enquanto dormem – ou não conseguem dormir – com o intuito de identificar as causas que as deixam insones.

Trata-se, na verdade, de uma ação educativa, realizada pela empresa farmacêutica Medley, que, do dia 12 até o dia 24 de julho, promove aulas e palestras no local com dicas e orientações para ter um sono reparador.

Créditos: Divulgação/Medley

O casarão não é mal-assombrado, muito pelo contrário; quem arrasta correntes é a insônia

Todas as atividades são gratuitas, e o calendário com dias e horários em que acontecem está no site do projeto. Basta preencher um formulário para participar, mas o número de vagas é limitado: há cerca de 2.000 no total, para as diferentes práticas, e 700 já haviam sido preenchidas até a última sexta-feira (7).

Serão aulas de relaxamento, meditação e respiração e ioga, um workshop culinário funcional e palestras com especialistas de saúde e higiene do sono.

O programa também oferece tours interativos por ambientes que mostram, com recursos audiovisuais e lúdicos, pequenas mudanças de hábito para evitar aquelas horas intermináveis em que não se consegue pregar o olho.

Créditos: Divulgação/Medley

Se você escolher o lado direito da cama, certamente vai dormir melhor

Um dos quartos do casarão, por exemplo, mostra, em uma de suas metades, o ambiente ideal para se relaxar e pegar no sono – limpo, arrumado, com pouca luminosidade. Em contraste, a outra parte do dormitório está bagunçada, à mercê da interferência de uma TV e guloseimas à beira da cama: durma-se com um barulho desses, lembrando que o ideal é comer até duas horas antes de dormir, e preferencialmente alimentos leves.

Só 30 felizardos – influenciadores digitais, no caso – poderão de fato pernoitar no hotel, em três quartos no andar superior. Eles vivenciarão na prática os ensinamentos do programa e replicarão suas experiências nas redes sociais da Medley e na plataforma da ação.

Créditos: Divulgação/Medley

Um dos focos do programa é a alimentação, que deve ser leve e feita até duas horas antes de se deitar para dormir

A abordagem dos ensinamentos vai focar a desconstrução de costumes que prejudicam a qualidade do sono. Serão usados princípios da Terapia Comportamental Cognitiva, que propõe mudanças para educar o cérebro e o corpo.

“Quando o sono não vem, é melhor levantar e fazer outra coisa do que ficar rolando na cama, pois isso gera ansiedade”, exemplifica Maria Christina Ribeiro Pinto, especialista em TCC com foco em transtorno do sono.

Uma das principais dicas de Maria Christina para dormir como um rei é deixar o celular fora do quarto. Certamente é uma das mais difíceis de seguir, sobretudo pelo público mais jovem, mas ela faz todo o sentido: desligar-se é imprescindível para mergulhar nos braços de Morfeu, o deus dos sonhos.

Ainda por essa razão, contar carneirinhos não passa de um mito para adormecer, pois fazer cálculos também é uma forma de se manter aceso.

Por QSocial