O método tradicional de plantar, cultivar e colher como forma de produzir comida foi desbancado. O responsável: o projeto Food from Electricity, que cria alimentos utilizando eletricidade, gás carbônico retirado do ar, água e micro-organismos.

Créditos: Divulgação

O projeto Food from Electricity visa criar alimentos utilizando eletricidade, incluindo energia solar, e dióxido de carbono

A tecnologia foi desenvolvida por pesquisadores finlandeses, que criaram um lote de uma proteína nutritiva o suficiente para ser servida em uma refeição.

As matérias-primas são levadas a um biorreator, alimentado por energia renovável, e se transformam em um pó composto de 50% de proteínas e 25% de carboidratos. A textura pode ser alterada, dependendo do micróbio utilizado.

A comida sintética pode ser consumida tanto por seres humanos, quanto por animais. Está sendo desenvolvida como parte do projeto Food from Electricity, uma colaboração entre a Universidade de Tecnologia de Lappeenranta (LUT) e o VTT Centro de Pesquisa Técnica da Finlândia.

Créditos: Divulgação

Por não depender de condições climáticas e solo fértil, a produção pode ser facilmente realizada em qualquer lugar do mundo

O projeto busca oferecer uma forma alternativa de alimentação que possa acabar com a fome no mundo e que seja livre de emissões poluentes. Segundo os cientistas, o método automatizado pode ser 10 vezes mais eficiente energeticamente do que a fotossíntese.

Por não depender de condições climáticas e solo fértil, a produção pode ser facilmente realizada em qualquer lugar do mundo. Para isso, basta apenas ter os equipamentos necessários.

Um grama de proteína leva aproximadamente duas semanas para ser produzido. O foco agora é tornar esse processo mais rápido e comercializável.

Por QSocial