Um trabalho de conclusão de curso (TCC) pode dar a um estudante a nota de que ele precisa rumo ao diploma e ao mercado de trabalho. Mas também pode oferecer muito mais do que isso. Na Serra Gaúcha, um aluno de engenharia elétrica desenvolveu uma cadeira de rodas comandada pelo movimento dos olhos.

Maikon Del Ré Perin, 25 anos, está no final do curso na Universidade de Caxias do Sul (UCS) e, junto com professores, vem trabalhando no equipamento, que pode conferir algum nível de autonomia a pessoas que perderam os movimentos.

Créditos: Divulgação

Cadeira de rodas comandada pelo movimento dos olhos

A cadeira funciona em conjunto com uma máscara composta de eletrodos, que captam o sinal elétrico gerado pelos movimentos musculares comandados pelo globo ocular.  O olhar para cima faz a cadeira mover-se para a frente; o olhar para baixo provoca sua parada; o olhar para os lados gira o equipamento na direção correspondente.

A tecnologia empregada chama-se eletro-oculografia, e o conhecimento adquirido pelo universitário veio de um intercâmbio de 13 meses realizado na Universidade de Nevada, em Reno (EUA), entre 2014 e 2015, pelo extinto programa Ciência sem Fronteiras.

Créditos: Divulgação

Estudante de engenharia de Caxias do Sul desenvolve cadeira de rodas para pessoas que perderam os movimentos

Para Maikon, que se formará em breve, o mais importante é que o conhecimento científico seja aplicado à vida das pessoas e possa facilitá-la.

E, de fato, a cadeira de rodas comandada pelo movimento dos olhos oferece uma nova perspectiva de vida para pessoas com dificuldades de locomoção, especialmente pacientes com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

O projeto já despertou o interesse de instituições de ensino internacionais. Mas, para que seja comercializável e esteja à disposição de quem precisa, a cadeira de rodas ainda terá que passar por uma série de ajustes e seguir normas internacionais de segurança.

Por QSocial